• AVS e ACS

    Ação integrada dos Agentes de Vigilância Sanitária no combate a dengue.

  • Grupo de artesanato

    Nosso grupo de artesanato em ação trocando experiência com as ACS's.

  • Saúde bucal

    Primeiro exame bucal do bebê, orientação aos responsáveis sobre higiene, alimentação e o não uso de bicos.

  • Teste do pezinho

    Primeiro exame laboratorial realizado no 5º dia de vida do bebê, para detectar algumas doenças que causam retardo mental entre outras que podem trazer graves problemas.

  • Exames laboratoriais

    Coleta de sangue para realização de exames laboratoriais de segunda à Sexta-feira.

  • Carnaval na Anna Nery

    Segundo ano de folia com os usuários da Anna Nery.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2ª DOSE!!!

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 11:05 with 0 Comentário












quinta-feira, 27 de agosto de 2015

27/08 - DIA DO PSICÓLOGO

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 07:26 with 0 Comentário

terça-feira, 25 de agosto de 2015

SEMANA NACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E MÚLTIPLA

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 07:59 with 0 Comentário

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Capacitação PGRSS

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 12:28 with 0 Comentário
Hoje aconteceu na CF Anna Nery a Capacitação PGRSS. Cuidando dos resíduos e preservando o meio ambiente!




ORIENTAÇÃO SOBRE HANSENÍASE

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 12:23 with 0 Comentário
           O enfermeiro Fernando Rodrigues e a ACS Caroline Christine foram para as ruas informar, orientar e esclarecer dúvidas sobre a hanseníase. Abordaram pessoas que transitavam pelas ruas, fizeram palestras na Escola Municipal George Summer e na Faculdade Senai - CETIQT. 












sexta-feira, 7 de agosto de 2015

De 01 a 07 de agosto - SEMANA DA AMAMENTAÇÃO!

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 07:39 with 0 Comentário

terça-feira, 4 de agosto de 2015



A partir de iniciativa e propostas brasileiras, a Organização Mundial de Saúde (OMS), durante Assembleia Mundial da Saúde realizada em maio de 2010, instituiu a data de 28 de julho como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. Desde então, o Ministério da Saúde, por meio do seu Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde, vem cumprindo uma série de metas e ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das hepatites virais no Brasil.

Prevenção
Existem várias medidas que podem evitar a transmissão das hepatites virais: 
> Usar preservativo em todas as relações sexuais;
 
> Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings;
 
> Não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure;
 
> Não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas;
 
> Não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.


Vacinação 
A vacina contra a hepatite B deve ser recomendada para jovens até 29 anos, para as populações vulneráveis* (em especial, profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens e usuários de drogas) e para profissionais de saúde. É um direito e é a melhor forma de evitar a hepatite B. Essa vacina faz parte do calendário de vacinação da criança e do adolescente e está disponível em todas as  salas de vacina do Sistema Único de Saúde (SUS) – cerca de 32 mil, no total. Todo recém-nascido deve receber a primeira dose logo após o nascimento, preferencialmente nas primeiras 12 horas de vida. Se a gestante tiver hepatite B, o recém-nascido deverá receber, além da vacina, a imunoglobulina contra a hepatite B, nas primeiras 12 horas de vida, para evitar a transmissão de mãe para filho. Caso não tenha sido possível iniciar o esquema vacinal na unidade neonatal, recomenda-se a vacinação na primeira visita à unidade pública de saúde. A vacina está disponível no SUS desde 1998.


Diagnóstico
No Brasil, enquanto a hepatite B é mais frequente na faixa etária de 20 a 49 anos, a hepatite C acomete mais pessoas entre 30 e 59 anos. A maioria dessas pessoas desconhece sua condição sorológica. No caso da hepatite C, por exemplo, há pessoas que fizeram transfusão de sangue antes de 1993 (quando não havia teste para diagnosticar a doença) ou que utilizaram seringas não esterilizadas que podem estar infectadas pelo vírus da hepatite C sem saberem. A hepatite é a inflamação do fígado, uma doença que nem sempre apresenta sintomas. Muitas pessoas só percebem que estão doentes (principalmente dos tipos B e C) quando as manifestações já são graves, como cirrose ou câncer de fígado. Esses pacientes levam anos para descobrir que estão infectados. Realizar o diagnóstico precoce das hepatites é um dos principais determinantes para evitar a transmissão ou a progressão dessas doenças e suas graves consequências. Os testes para as hepatites estão disponíveis em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS).


Fique Sabendo
O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais já mantém uma estratégia de mobilização para o diagnóstico de aids, sífilis e hepatites: o Fique Sabendo. A estratégia, criada em 2003, tem grande aceitação e credibilidade entre profissionais e gestores de saúde pública. As mensagens desta campanha devem estar alinhadas às diretrizes do Fique Sabendo.
O papel do profissional de saúde
O momento de consulta é uma oportunidade que o profissional de saúde tem para, não só recomendar o exame para a aids, mas também o de hepatites e o de sífilis. O resultado do exame de hepatite possibilita ao profissional de saúde notificar a doença e dar à Saúde do país o panorama real do número de casos existentes. Isso é fundamental para o desenvolvimento de políticas de prevenção e combate à doença. 
      
 
Metas
O Brasil tem como prioridade, até 2015, a realização de campanhas nacionais que estimulem os seus cidadãos a se vacinarem gratuitamente contra a hepatite B e buscarem o diagnóstico precoce. O objetivo é atingir cobertura vacinal superior a 90% e identificar os quase dois milhões de brasileiros que o Ministério da Saúde estima que estejam infectados pelos os vírus B e C.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Semana Mundial da Amamentação

Posted by Clínica da Família Anna Nery on 08:51 with 0 Comentário


Semana Mundial de Aleitamento Materno - SMAM

A Semana Mundial de Aleitamento Materno faz parte de uma história mundial focada na Sobrevivência, Proteção e Desenvolvimento da Criança.
Desde sua criação em 1948 que a Organização Mundial de Saúde – OMS tem entre suas ações aquelas voltadas a saúde da criança, devido a grande preocupação com a mortalidade infantil. Em 1990, de um encontro organizado pela OMS e UNICEF resultou um documento adotado por organizações governamentais e não governamentais, assim como, por defensores da amamentação de vários países, entre eles o Brasil.

O documento chamado “Declaração de Innocenti” apresentou quatro objetivos operacionais:

• Estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação;
• Implementar os "10 passos para o sucesso da amamentação" em todas as maternidades;
• Implementar o Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno e todas as resoluções relevantes da Assembléia Mundial de Saúde;
• Adotar legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.
Com o objetivo de seguir os compromissos assumidos pelos países com a assinatura do documento, foi fundada em 1991 a Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação – WABA. Essa Organização criou no ano de 1992 a Semana Mundial de Aleitamento Materno, para promover as metas da “Declaração de Innocenti”.

A Semana Mundial é considerada como veículo para promoção da amamentação. Ocorre em 120 Países e, oficialmente, é celebrada de 1 a 7 de agosto. A WABA define, a cada ano, o tema a ser trabalhado na Semana, lançando materiais que são traduzidos em 14 idiomas. Entretanto, a data e o tema podem ser adaptados em cada País a fim de que seja obtido mais e melhores resultados do evento.

No Brasil, o Ministério da Saúde coordena a Semana Mundial de Aleitamento Materno desde 1999. Sendo responsável pela adaptação do tema para o nosso País e elaboração e distribuição de cartaz e folder. Tem o apoio de Organismos Internacionais, Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais, Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, Hospitais Amigos da Criança, Sociedades de Classe e ONGs.